Skip to main content
VII Congreso Internacional AE-IC, Valencia 2020

Papers Proceedings »

O potencial de significados do filme-anime Your Name e a comunidade Otaku do Brasil: transformações de hábitos com o encontro de culturas

O artigo objetiva compreender o potencial de sentidos produzidos pelo filme japonês Kimi no na wa (lançado no Brasil e no resto do ocidente como Your Name) na comunidade brasileira de fãs de cultura japonesa, os Otaku. Enquanto o consumo de filmografia japonesa não é atividade recente dentro da comunidade de fãs – principalmente de obras na estética do desenho animado japonês, o anime –, Your Name revelou-se um marco do anime japonês ao ser bem recebido pelo mercado ocidental, angariando indicações e prêmios em diversos festivais de cinema nos EUA e Europa, além de ser disponibilizado em 2018 na plataforma de vídeos Netflix, apresentando a obra a um grupo ainda mais amplo de consumidores. Embora o tema da comunidade Otaku não seja raro na academia brasileira, seu foco ainda é esparso entre diversos aspectos da comunidade. Para compor o panorama atual das pesquisas, utilizamos os trabalhos de Gushiken e Hirata (2014) sobre as similaridades e diferenças entre os Otaku brasileiros e japoneses; as obras de Santoni (2017) e as de Pedro Henrique de Conceição dos Santos (2018) sobre as práticas sociais e identitárias dos Otaku; enquanto para compreender as atividades técnicas comuns ao meio Otaku lançamos mão do pesquisa de Urbano (2013) sobre legendadores amadores; de Bellan (2012) sobre os clipes musicais e Aurélio Junior (2010) sobre rádios-web. Finalmente, trazemos as discussões levantadas por Eiti e Miyoko (2019) sobre a estética do filme Your Name e as obras de Schodt (1983), Luyten (2000), Ito (2004), Gravett (2006) e MacWiliams (2008) sobre a estética do anime em geral. Para a realização da pesquisa, utilizamos a semiótica de Charles S. Peirce como método de análise em algumas cenas do filme, quanto ao seu potencial gerador de significados, em contraste com mensagens deixadas pelos fãs, categorizadas como interpretantes emocionais, enérgicos e lógicos. Mais ainda, tomamos da arquitetura filosófica de Peirce os conceitos de comunidade e amor evolutivo para discutir as ligações que são construídas entre os Otaku brasileiros, o filme Your Name e as novas plataformas digitais. Para coleta das mensagens, utilizamos três dos principais canais declaradamente Otaku da plataforma YouTube: Otaku Force Br, Haru e Ya Ban Boo, em seus vídeos dedicados ao filme. Após análise do filme, é possível verificar que há predominância de imagens que fazem referência direta a locais reais no Japão, a símbolos da cultura japonesa e à religião shintô, como o kuchikamizake (sakê utilizado em cerimônias religiosas), a corda trançada vermelha (símbolo do amor destinado), o crepúsculo (o mundo dos espíritos se aproximando do mundo dos vivos) e o próprio meteoro que dá mote à trama. No entanto, esse rol de imagens aparentemente significativas apenas aos japoneses é absorvido na comunidade Otaku brasileira não apenas na primeiridade (a observação emocional dessas imagens), mas os fãs conseguem alçar interpretantes energéticos e até mesmo lógicos, demonstrando sua capacidade de articular com a obra no nível da terceridade, característica fundamental de uma comunidade, no sentido peirceano, e fim último da mesma, enquanto transformadora de hábitos.

Andre Luis dos Santos
Universidade de Sorocaba
Brasil

Maria Ogécia Drigo
Universidade de Sorocaba
Brasil

 

Política de Privacidad

Patrocinado por OpenConf®
Derechos de autor ©2002-2018 Zakon Group LLC