Skip to main content
VII Congreso Internacional AE-IC, Valencia 2020

Papers Proceedings »

QUANDO EU E O OUTRO SOMOS NÓS: COMUNICAÇÃO PARA A COABITAÇÃO ORGANIZACIONAL E DIVERSIDADE PELA ÓTICA DA GESTÃO EMPRESARIAL

As relações sobre comunicação, diversidade e gestão nas organizações costumam ser estabelecidas com foco na mensuração de desempenho, na busca por resultados econômicos e no uso de modelos, ferramentas e discursos que, ao invés de dialogar com questões sociais, históricas e de direito a partir do que é genuinamente humano, podem contribuir com ações discriminatórias ou microagressivas. Diante desse cenário, este trabalho parte do pressuposto de que em uma organização a comunicação deve protagonizar processos para a inclusão da diversidade, na medida em que produz a circulação de significados compartilhados, intervém na realidade e constrói um novo sentido de atuação, e que a ótica de gestores(as) organizacionais sobre a comunicação organizacional pode impactar efetivamente nas políticas e ações de diversidade nas empresas. Por essa perspectiva, constitui-se como objetivo da pesquisa analisar em que medida gestores e gestoras compreendem a comunicação organizacional como protagonista de processos inclusivos da diversidade e qual a importância do papel das pessoas que estão em cargos de gestão nesta articulação, discutindo a comunicação organizacional como um encontro que reconhece a alteridade e a diversidade, e entendendo o papel da gestão no processo comunicação para a coabitação organizacional, que presume participação, democracia, respeito, valores compartilhados, solidariedade e parcerias sustentáveis. A metodologia adotada compreende uma fase de levantamento bibliográfico e uma pesquisa empírica realizada junto a duas empresas da região de Bauru e Marília, Estado de São Paulo/Brasil, eleitas pela Revista brasileira Você S/A como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar. Esta pesquisa contou com a realização de entrevista tanto com responsáveis pela gestão das empresas pesquisadas quanto com responsáveis pelas áreas de Recursos Humanos. Os resultados indicam que gestores(as) compreendem a comunicação organizacional de uma maneira instrumentalizada, ligada a uma área ou a determinado profissional, buscando transmitir ou desdobrar informações da organização de forma verticalizada e com vistas a melhorar a performance da companhia. Reflete-se que este tipo de comunicação não oportuniza a inclusão da diversidade e que gestores(as) organizacionais necessitam compreender contextos sociais e históricos para desenvolverem efetivamente seu papel político e transformador nas organizações para que, dessa maneira, a comunicação para a coabitação possa protagonizar, de fato, a inclusão da diversidade, criando ambientes livres, justos e democráticos.

Cassiana Caglioni
Instituição Toledo de Ensino de Bauru
Brasil

Maria Eugênia Porém
UNESP Campus de Bauru S.P.
Brasil

 

Política de Privacidad

Patrocinado por OpenConf®
Derechos de autor ©2002-2018 Zakon Group LLC